RELAÇÕES ENTRE A PRODUÇÃO CIENTÍFICA E A PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA BRASILEIRA SOB O VIÉS DE UM ESTUDO BIBLIOMÉTRICO

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

Estuda a relação entre a produção científica brasileira em ciências agrárias e a produção agropecuária, destacada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A produção científica é analisada através dos indicadores bibliométricos de produção e associação temática. Os softwares usados são BibExcel, Excel e VOSviewer. O corpus do estudo é composto por 109.084 artigos científicos indexados pela Scopus entre 2008-2017. Demonstrou-se a heterogeneidade da distribuição da produção cientifica brasileira em ciências agrárias, destacando cada estado brasileiro. O estudo das palavras-chave revelou que o foco dessa ciência são as pesquisas relacionadas às políticas socioeconômicas do país, metas que essa ciência se compromete em cumprir segundo o objetivo do Plano Nacional da Pós-Graduação (2010-2020). Conclui que há correspondência entre os estudos e a produção agropecuária, pois, dos 26 produtos apontados pelo Ministério como relevantes para a economia brasileira, apenas sete não foram localizados entre os mais frequentes nas palavras-chave.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
Biografia
Karen Ribeiro de Freitas Irizaga, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Mestre. Bibliotecária da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Samile Andréa de Souza Vanz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Doutora. Professora dos Programas de Pós-graduação em Comunicação e em Ciência da Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Referências

ADAMS, J.; KING, C. Global research report brazil: research and collaboration in the new geography of science. Leeds: Thomson Reuters, 2009.

BELTRÃO, N. E. M.; VALE, L.; SILVA, O. R. F. Grãos oleaginosos. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 753-766.

BLAZQUEZ-RUIZ, J.; GUERRERO-BOTE, V. P.; MOYA-ANEGON, F. New Scientometric-Based Knowledge Map of Food Science Research (2003 to 2014). Comprehensive reviews, v. 15, n. 6, p. 1040-1055, 2016.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Valor da produção agropecuária de 2017 é de R$ 533,5 bilhões. Brasília: MAPA, 2017. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Capes. Plano Nacional de Pós-Graduação: PNPG 2011-2020. Brasília: Capes, 2010. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2020.

CAMPOS, K. C.; PIACENTI, C. A. Agronegócio do leite: cenário atual e perspectivas. Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural - SOBER, 45. Londrina: SOBER, 2007.

CEZAR; I. M. et al. Sistemas de produção de gado de corte no Brasil. Campo Grande: Embrapa Gado de Corte, 2005.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Cursos avaliados e reconhecidos. Brasília: Capes, 2018. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2020.

CROSS. D.; THOMSON, S.; SINCLAIR, A. Research in Brazil: a report for Capes by Clarivate Analytics. [S.l]: Clarivate Analytics, 2017.

DUTRA, E. J.; HILSINGER, R. A cadeia produtiva do tabaco na Região Sul do Brasil. Geografia Ensino & Pesquisa, Santa Maria, v. 17, n. 3, doc. não paginado, set./dez. 2013.

ECK, N. J.; WALTMAN, L. Software survey: VOSviewer, a computer program for bibliometric mapping. Scientometrics, Amsterdam, v. 84, n. 2, p. 523-538, 2010.

FERREIRA, C. M. et al. Qualidade do arroz no Brasil. Goiás: Embrapa Arroz e Feijão, 2005.

FREIRE, E. C.; BELTRÃO, N. E. M. Impulsionando a produção e a produtividade agrícola: o caso do algodão. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 634-648.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. 32. ed. São Paulo: Nacional, 2005.

GLÄNZEL, W.; LETA, J.; THIJS, B. Science in Brazil. Part 1: a macro-level comparative study, Scientometrics, Amsterdam, v. 67, n. 1, p. 67-86, 2006.

GOMES, M. Brasil bate recorde em produção de ovos e fica em sétimo no ranking mundial. Correio Braziliense, economia, [S. l.], 13 nov. 2017.

HAUAGGE, R.; BRUCKNER, C. H.; PETZI, J. L. Maçã. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 501-510.

KIIHL, R. A. S.; CALVO, E. S. A soja no Brasil: mais de 100 anos de história, quatro décadas de sucesso. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 199-218.

LOPES; U. V.; PEREIRA, J. L. M. Políticas institucionais e inovações tecnológicas no cultivo do cacaueiro. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 851-870.

MÉDICI, M. C.; ALMEIDA, M. L. Geografia: economia agrária. São Paulo: Nova Geração, 2000.

MELO, P. C. T. et al. Tomate para processamento industrial. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 547-556.

MIGUEL, S.; CHINCHILLA-RODRIGUEZ, Z.; MOYA-ANÉGON, F. de. Open Access and Scopus: a new approach to scientific visibility from the standpoint of access. Journal of the American Society for Information Science and Technology, North Carolina, n. 62, p. 1130-1145, jun. 2011.

MOURÃO, E. A. B.; AFONSO JÚNIOR, P. C.; BARTHOLO, G. F. Café. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 275-294.

NEFF, M. W.; CORLEY, E. A. 35 Years and 160,000 articles: a bibliometric exploration of the evolution of ecology. Scientometrics, Amsterdam, v. 80, n. 3, p.657–682, 2009.

OLIVEIRA, A. B.; RODRIGUES, R. S.; MATIAS, M. Periódicos científicos das ciências agrárias: análise dos títulos brasileiros indexados na Web of Science e Scopus. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 22, n. 2, p. 3-28, abr./jun. 2017.

ORTELAN, C. B. Crescimento do setor suinícola é pautado na diversificação. Revista suinocultura industrial, anuário, 2017, Itu, n. 273, p. 26-30, 2018.

PASSOS, O. S.; SOARES FILHO, W. S. O desenvolvimento da citricultura. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 359-366.

PELOSO, M. J. D.; WANDER, A. E.; STONE, L. F. Feijão-comum: impulsionando a produção e a produtividade de grãos na agricultura brasileira. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 219-233.

PENTEADO FILHO, R. C.; AVILA, A. F. D. Embrapa Brasil: análise bibliométrica dos artigos na Web of Science (1977-2006). Texto para discussão, Brasília, DF, v. 36, doc. não paginado, 2009.

RIBEIRO, C. S. C. et al. Pimentões e pimentas do gênero Capsicum. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 595-608.

RITSCHEL, P. S. et al. Uva. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 537- 545.

RODRIGUES G. B. et al. Seleção para duração do ciclo vegetativo em batata e relação com a produtividade de tubérculos. Horticultura Brasileira, n. 27, p. 280-285, 2009.

SANTOS, C. A. F.; OLIVEIRA, V. R.; LEITE, D. L. Melhoramento genético de cebola no Brasil. Petrolina: Embrapa Semiárido, 2013.

SIDONE, O. J. G.; HADDAD, E. A.; MENA-CHALCO, J. P. A ciência nas regiões brasileiras: evolução da produção e das redes de colaboração científica. Transinformação, Campinas, v. 28, n. 1, p. 15-31, jan./abr. 2016.

SILVA, S. O.; CORDEIRO, Z. J. M. O desenvolvimento da bananicultura. In: ALBUQUERQUE, A. C. S.; SILVA, A. G. (Org.). Agricultura tropical. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2008, p. 335-340.

PAZ, V. P. S.; TEODORO, R. E. F.; MENDONÇA, F C. Comunicado Técnico: recursos hídricos, agricultura irrigada e meio ambiente. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 4, n. 3, p. 465-473, 2000.

VANTI, N. A. P. Da Bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 2, p. 153-162. maio/ago. 2002.

VARGAS, R. A. A produção científica brasileira em ciências agrárias indexada na Web of Science. 178 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

VÉLEZ VARGAS, L. D. El paradigma científico de las ciências agrárias: una reflexion. Revista Facultad Nacional de Agronomía, Medelin, v. 57, 2004.

ZANGHELINI, G. M. et al. Análise da evolução dos temas de pesquisa da ACV no Brasil baseada na relação de co-words. LALCA, Brasília, n. 1, especial, p. 34-47, 2017.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

RIBEIRO DE FREITAS IRIZAGA, K.; DE SOUZA VANZ, S. A. RELAÇÕES ENTRE A PRODUÇÃO CIENTÍFICA E A PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA BRASILEIRA SOB O VIÉS DE UM ESTUDO BIBLIOMÉTRICO. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 17, n. 37, p. 1-21, 29 jul. 2021.

Seção

Estudos

Publicado:

Jul 29, 2021
Palavras-chave:

Ciências agrárias. Produção científica. Produção agropecuária. Brasil.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.