BOLSAS CAPES DE MOBILIDADE ACADÊMICA INTERNACIONAL 1952-2019 um estudo a partir dos contextos de internacionalização da educação superior

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

A educação superior brasileira e sua internacionalização são, historicamente, intensamente dependentes do Estado e do governo federal. Um exemplo disso foi o Ciência sem Fronteiras - CsF, programa que surgiu em 2011 com a audaciosa meta de conceder, em quatro anos, 101 mil bolsas de mobilidade estudantil e docente internacionais. Esse programa foi considerado estratégico no governo Dilma, porém foi descontinuado tão logo ela saiu do poder. Neste artigo, busca-se situar a Capes e, mais especificamente, o CsF no histórico das políticas de educação superior dos diferentes governos federais. Dessa forma, a partir de uma pesquisa bibliográfica e de análise documental, foi analisada a concessão de bolsas no exterior pela Capes, governo a governo, sendo proposta uma divisão da história da mobilidade estudantil para o exterior em seis períodos, onde são observados decréscimos de bolsas nos governos Costa e Silva, Médici, Itamar Franco, FHC e Temer. Além disso, foi elaborado um índice de mobilidade educacional (IME), que permitiu uma comparação relativa entre os diferentes governos federais em relação ao número de alunos de mestrado e doutorado, observando-se redução do indicador nos governos Itamar Franco, FHC e Temer, ditos liberais.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
  • Viviane Xavier de Araújo Cruz
Biografia
Marcelo Leandro Eichler, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Possui Licenciatura em Química (1997), mestrado em Psicologia (2000) e doutorado em Psicologia do Desenvolvimento (2004), todos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Lecionou em outras quatro universidades públicas (UERGS, UFBA, FURG e UFSC) e, atualmente, é professor adjunto do Departamento de Química Inorgânica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), docente permanente dos programas de pós-graduação em Educação (UFRGS) e em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (UFRGS/UFSM/FURG).
Referências

AVEIRO, T. M. M.; SANTOS, A. B.. A capacitação de recursos humanos de alto nível no exterior como parte da missão histórica da Capes. Revista Perspectivas do Desenvolvimento: um enfoque multidimensional, Volume 04, Número 05, Agosto 2016

BARROS, E. M. C. Política de Pós-Graduação no Brasil: um estudo da participação da comunidade científica. São Carlos: EdUFSCar, 1998.

BATISTA, R. L. A ideologia da nova educação profissional no contexto da reestruturação produtiva. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011. 357 p.

BRASIL. Presidente (2011-2016: Dilma Rousseff). Discurso na cerimônia de anúncio da expansão da Rede Federal de Educação Superior e Profissional e Tecnológica. Palácio do Planalto, 16 de agosto de 2011. Disponível em: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/discursos/discursos-da-presidenta/

CAPES. Relatório CAPES 1979 a 1985. Brasília, fevereiro de 1985.

______. Infocapes v.7, n. 4 1999. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/Info4_99.pdf

______. INFOCAPES. Boletim Informativo Vol. 10, Nº 4 out/dez 2002. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/Infocapes10_4_2002.pdf

______. Plano Nacional De Pós-Graduação (PNPG) 2005-2010. Brasília, 2004. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/PNPG_2005_2010.pdf

______. CAPES 60 anos: Seis décadas de evolução da pós-graduação. Revista comemorativa, julho de 2011. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/Revista-Capes-60-anos.pdf

______. Folder Capes 65 anos: uma agência que pensa o futuro do Brasil. 2016. Disponível em: https://www.capes.gov.br/65anos/folder-65-anos.pdf

______. GeoCapes. 2020. Disponível em: https://geocapes.capes.gov.br/geocapes/ Acesso em 08/04/2020.

CASARA, R. Estado pós-democrático: neo-obscurantismo e gestão dos indesejáveis. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017

CONTEL, F. B.; LIMA, M. C. Aspectos da internacionalização do ensino superior: origem e destino dos estudantes estrangeiros no mundo atual. INTERNEXT – Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 167-193,
jul./dez. 2007.

CORBUCCI, P. R. Financiamento e democratização do acesso à educação superior no Brasil: da deserção do Estado ao projeto de reforma. Educ. Soc. [online]. 2004, vol.25, n.88, pp.677-701. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-73302004000300003.

CÓRDOVA, R. CAPES: origem, realizações, significações (1951-2002). Brasília, s.n., 2003.

CUNHA, L. A. A Universidade Reformada: o golpe de 1964 e a modernização do ensino superior (2ª ed). São Paulo: UNESP, 2007.

DUTRA, R. C. de A.; AZEVEDO, L. F. de. Programa “Ciência sem Fronteiras”: geopolítica do conhecimento e o projeto de desenvolvimento brasileiro. Ciência Sociais Unisinos, v. 52, n. 2, p. 234–243, 2016.

FIORI, J. L. O vôo da coruja: para reler o desenvolvimento brasileiro. Rio de Janeiro: Record, 2003.

GUIMARÃES-IOSIF, R. (2016). Programa Ciência sem Fronteiras: a tradução da política de internacionalização brasileira no Canadá. Canoas: Interface Brazil/Canadá, pp. 16-39, 2016.

KATO, F. B. G.; FERREIRA, L. R. A política de expansão e financiamento da pós-graduação: as diretrizes do PNPG (2011-2020) e PNE (2014-2024). RBPAE - v. 32, n. 3, p. 677 - 697 set./dez. 2016

LAUS, S. P.; MOROSINI, M. C. Internationalization of Higher Education in Brazil. In: WIT, H., JARAMILLO, I., GACEL-ÁVILA, J., KNIGHT, J. (Eds). Higher Education in Latin America: the International Dimension. Washington: The World Bank, 2005.

LIMA, M. C.; CONTEL, F. Períodos e Motivações da Internacionalização da Educação Superior Brasileira. 5ème colloque de l’IFBAE. Grenoble, 2009.

______. Internacionalização da Educação Superior: nações ativas, nações passivas e a geopolítica do conhecimento. São Paulo: Alameda, 2011

MANÇOS, G. R.; COELHO, F. S. Internacionalização da Ciência Brasileira: subsídios para avaliação do programa Ciência sem Fronteiras. Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais – RPPI, v. 2 n. 2, 2017.

MARTINS, C. B. O Ensino Superior Brasileiros nos Anos 90. São Paulo Perspec. vol.14 no.1 São Paulo Jan./Mar. 2000. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-88392000000100006

MATTOS, L. K. A internacionalização da pós-graduação brasileira: investimento e avaliação na área de ciências sociais aplicadas. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico, Programa de Pós-Graduação em Administração, Florianópolis, 2018.

MAZZA, D. Intercâmbios acadêmicos internacionais: bolsas Capes, CNPq e Fapesp. Cad. Pesqui. vol.39 no.137 São Paulo May/Aug. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742009000200010

McMANUS, C.; NOBRE, C. A. Brazilian Scientific Mobility Program - Science without Borders: Preliminary Results and Perspectives. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 89, n. 1, pp. 773-786, 2017.

MENDES, F. Z. Cooperação e integração regional na perspectiva Sul-Sul: contribuições à internacionalização da educação superior. Dissertação apresentada ao curso de Mestrado Profissional em Políticas Públicas e Gestão Educacional. Santa Maria: UFSM, 2019.

MOREL, R. Ciência e Estado: a política científica no Brasil. São Paulo: T.A. Queiroz, 1979.

MOTTA, R. P. S. As universidades e o regime militar: cultura política brasileira e modernização autoritária. Rio de Janeiro: Zahar, 2014

OSBORNE, D.; GAEBLER, T. Reinventing Government. New York: Penguin Press, 1992.

PETERNELLA, A. Crise da pedagogia e suas implicações à formação do pedagogo no início do século XXI. 2016. 289 f. Tese (Doutorado em Educação) Programa de Pós-graduação em Educação, da Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2016.

ROSSATO, R. Universidade: nove séculos de história. Passo Fundo: Ediupf, 1998.

SANTOS, C. M.. Tradições e contradições da pós-graduação no Brasil. Revista
Educação & Sociedade, Campinas, v. 24, n. 83, p. 627-641, 2003.

SOUZA, J. A radiografia do golpe: entenda como e por que você foi enganado. Rio de Janeiro: Leya, 2016.

SUCUPIRA, N. Antecedentes e primórdios da pós-graduação. Forum educ., Rio de Janeiro, 4 (4): 3-18. out./dez, 1980.

VELLOSO, J. Pesquisa educacional na América Latina: tendências, necessidades e desafios. Cad. Pesq. São Paulo, n. 81, pp.5-21, maio 1992. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/986/996

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

CRUZ, V. X. DE A.; EICHLER, M. L. BOLSAS CAPES DE MOBILIDADE ACADÊMICA INTERNACIONAL 1952-2019. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 17, n. 37, p. 1-25, 29 jul. 2021.

Seção

Estudos

Publicado:

Jul 29, 2021
Palavras-chave:

Internacionalização da Educação. Programas Educacionais. Bolsas de Estudo.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.