O CORPO NA PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO entre linguagens, cultura, ensino e inclusão

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

Entender uma educação de corpo inteiro requer o conhecimento da corporeidade, para tanto, parece-nos fundamental refletir esse tema em programas de pós-graduação em Educação no país. O presente artigo buscou identificar e analisar as linhas de pesquisa dos programas de pós-graduação em Educação no Brasil que especificam o tema Corpo/Corporeidade. Esta é uma pesquisa qualitativa de cunho documental. Para tal identificou-se que existem 85 universidades que possuem programas com área de concentração em Educação, destas, 14 apresentam linhas de pesquisa com os descritores: corpo, corporeidade e corporal(is). Nestas 14 universidades foram identificadas 17 linhas de pesquisas com foco de estudos em corpo/corporeidade. A categorização realizada através da Análise de Conteúdo identificou quatro categorias, sendo elas: “corpo e linguagens” que reúne seis linhas de pesquisa/IES, seguida por “corpo e cultura” com cinco, “corpo e ensino” e “corpo e inclusão” com quatro linhas cada. Conclui-se que o fenômeno corpo/corporeidade é pouco estudado pela pós-graduação em Educação brasileira, levando em consideração suas facetas e complexidade, e aparentemente é tratado em sua integralidade, superando a concepção cartesiana que estabeleceu a supremacia da mente sobre o corpo em direção à compreensão unitária do ser humano.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
  • Natália Magrin
  • Ricardo Weller Piloto
  • Regina Maria Rovigati Simões
  • Wagner Wey Mireira
Biografia
Referências

ALMEIDA, F. Q.; GOMES, I.; SAMPAIO, A.; MARINOTTE, A. O corpo como tema da produção do conhecimento: uma análise em cinco periódicos da Educação Física brasileira. Movimento, Porto Alegre, v. 24, n. 1, p. 133-146, 2018.

ASSMANN, H. Paradigmas educacionais e corporeidade. 3. ed. Piracicaba: Editora UNIMEP, 1995.

BEZERRA, F. L. L.; MOREIRA, W.W. Corpo e Educação: O Estado da Arte sobre o corpo no processo de ensino aprendizagem. Revista Encontro de Pesquisa em Educação, Uberaba, v. 1, n.1, p. 61-75, 2013.

BORGES-ANDRADE, J. E. Em Busca do Conceito de Linha de Pesquisa. Revista de Administração Contemporânea, v. 7, n. 2, p. 157-170, 2003.

CAMPOS, F. K.; GOMES, C. F. Entre o prescrito e o proscrito da linguagem corporal: um estudo sobre o comportamento etológico de alunos da UFMT. Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde, Campinas, v. 16, n. 2, p. 178-198, 2018.
CAPALBO, C. Corpo e existência na filosofia de Maurice Merleau-Ponty, in: CASTRO, D. S. P. de; PICCINO, J. D.; JOSGRILBERG, R. de S.; GOTO, T. A. (Orgs.) Corpo e existência, São Bernardo do Campo: UMESP:FENPEC, 2003. p. 11-23.
COELHO, M. C.; VÍCTORA, C. O corpo que incomoda: Movimentos Sociais, Corpo e Autoridade. Sexualidad, Salud y Sociedad - Revista Latinoamericana, Rio de Janeiro, n. 25, p. 156-165, 2017.
D’ANGELO, S. M.; SALERNO, M. B.; SILVA, R. de F. da; ARAÚJO, P. F. de. Minha cadeira de rodas, meu corpo. Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde, Campinas, v. 10, n. 3, p. 113-141, 2012.
DUARTE , C. P.; COSTA, N. L.; SANTOS, R. T. S. Corpo e cultura na escola: propostas de interculturalidade crítica em projetos educacionais. In: SILVA, M. C. de P.; ATHAYDE, P.; LARA, L. (Org.) Corpo e Cultura: Ciências do Esporte, Educação Física e Produção do Conhecimento em 40 Anos de CBCE, v. 7, Natal, RN: EDUFRN, 2020.

FALCÃO, J. L. C. Corpo e cultura: políticas e cotidiano da formação em Educação Física. Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde, Campinas: SP, v. 16, n. 2, p. 2-17, 2018.
FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, L. B. de O.; LIMA, P. R. F.; MONTEIRO, A. de O.; MARTINS, W. C.; JUCÁ, S. C. S. Ressignificar o corpo: a educação dos sentidos. Research, Society and Development. Itajubá: MG, v. 8, n. 9, p. 1-16, 2019.
GALLO, S.; ZEPPINI, P. S. “O que pode um corpo?”: perspectivas filosóficas para a corporeidade. In: MOREIRA, W. W.; NISTA-PICCOLO, V. L. (Orgs.). Educação física e esportes no século XXI. Campinas: Papirus, 2016. p. 107-131.
GROH, A. Identidade Cultural e o Corpo. Revista Psicologia e Saúde, v. 11, n. 2, p. 3-22, 2019.

KUENZER, A. Z.; MORAES, M. C. M. de. Temas e Tramas na pós-graduação em Educação. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 93, p. 1341-1362, 2005.

LENCIONI, S. Linhas de pesquisa da pós-graduação em geografia. Mudanças, esquecimentos e emergência de (novos) temas. Revista da ANPEGE, v. 9, n. 11, p. 5-19, 2013.

MARCONI, M.de A.; LAKATO, E. M. Fundamentos da metodologia científica. 5. ed. São Paulo, Editora Atlas, 2003.

MENANDRO, P. R. M. Linha de pesquisa: possibilidades de definição e tipos de utilização do conceito. Revista de Administração Contemporânea, v. 7, n. 2, p. 177-182, 2003.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.
MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

MOREIRA, W. W. Formação profissional em ciência do esporte: homo sportivus e humanismo. In: BENTO, J. O.; MOREIRA, W. W. Homo sportivus: o humano no homem. Belo Horizonte: Instituto Casa da Educação Física, 2012. p. 112-180.

MOREIRA, W. W. et al. Corporeidade aprendente: a complexidade do aprender
viver. In: MOREIRA, W.W. (Org.). Século XXI: a era do corpo ativo. Campinas, SP:
Papirus, 2006. p. 137-154

NÓBREGA, T. P da. A atitude fenomenológica: o corpo sujeito. In: NÓBREGA, T. P da; CAMINHA, I. de O. (Org.). Merleau-Ponty e a Educação Física. São Paulo, Editora LiberArs, 2019.

NÓBREGA, T. P. da. Uma fenomenologia do corpo. São Paulo, Livraria da Física, 2010.
REZENDE, A. M. de. Concepção fenomenológica da educação. São Paulo: Cortez:Autores Associados, 1990.
RODRIGUES, R.; REIS, M. O lúdico e o corpo nos processos de construção de conhecimentos na escola. Em Aberto, Brasília, v. 31, n. 102, p. 23-36, 2018.
SANETO, J. G.; CAPOLILLO, M. Pensando em redes: corpos, culturas e diversidades. In: SILVA, M. C. de P.; ATHAYDE, P.; LARA, L. (Org.) Corpo e Cultura: Ciências do Esporte, Educação Física e Produção do Conhecimento em 40 Anos de CBCE, v. 7, Natal, RN: EDUFRN, 2020.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D.; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, São Leopoldo, a. 1, n. 1, p. 1-15, 2009.

SCHVEITZER, M. C.; BACKES, V. M. S.; PRADO, M. L. do; LINO, M. M.; FERRAZ, F. Grupos de pesquisa em educação em Enfermagem: linhas de pesquisa e produção científica em três regiões do Brasil. Revista Brasileira Enfermagem, Brasília, v.65, n.2, p. 332-338, 2012.

SILVA, A. C.; COSTA, N. T. M. Corpo e Educação Física escolar no ensino médio: a visão dos alunos. Revista Brasileira de Ciência do Esporte, Florianópolis, v. 36, n. 2, p. 223-237, 2014.

SILVA, C. R. R. da. Beleza negra, orgulho crespo: no corpo (des)constrói-se a (in)diferença, o estigma. Projeto História, São Paulo, n. 56, p. 463-476, 2016.

SIMÕES, R.; MOREIRA, W. W.; CHAVES, A. D.; SANTOS, S. P.; COELHO, A. L.;
CARBINATTO, M. V. A produção acadêmica sobre ginástica: estado da arte dos artigos científicos. Revista Brasileira de Educação Física, v. 30, n. 1, p. 183-198, 2016.

TANNÚS, F. M. S.; LIMA, L. DE O.; CAMPOS, M. V. S. DE; MOREIRA, W. W. As possíveis abordagens sobre corpo/corporeidade nos programas de Pós-Graduação em Educação do Estado de São Paulo: o estado da Arte. Revista Evidência, Araxá, v. 14, n. 14, p. 113-126, 2018.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

MAGRIN, N.; WELLER PILOTO, R.; MARIA ROVIGATI SIMÕES, R.; WEY MIREIRA, W. O CORPO NA PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 17, n. 37, p. 1-19, 29 jul. 2021.

Seção

Estudos

Publicado:

Jul 29, 2021
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.