Mestrados profissionais e desenvolvimento profissional da docência uma análise do programa ProfHistória

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

Este artigo procura investigar o desenvolvimento profissional da docência com base nas contribuiçõesde um programa de pós-graduação, o Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História(ProfHistória). Os mestrados profissionais foram instituídos no Brasil a partir de 1995 e consolidados apartir de sua inserção na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), em2009. Entre estes, focamos esta análise no Programa ProfHistória, destinado ao aperfeiçoamentoprofissional de professores da Educação Básica da área de História. A metodologia adotada se refere àanálise de conteúdo baseada nos textos de conclusão final de nove dissertações classificadas napremiação nacional do Programa nos anos de 2016, 2018 e 2020, tendo sido premiadas três dissertaçõesem cada ano. Partimos da premissa de que o desenvolvimento profissional da docência em cursos depós-graduação se baseia nas características da atividade de pesquisa acadêmica, que provoca a reflexãocriteriosa, crítica e propositiva a respeito do ensino, assim como provoca transformações no modo deanalisar e de compreender a própria docência. Evidenciamos, por meio desta análise, que de fato ostextos analisados apresentam evidências de ambos os aspectos e apresentam caráter problematizador,crítico e prescritivo em relação ao ensino de História, assim como indicativos de como a pesquisaoportunizou mudanças significativas no modo de compreender a própria atividade docente. Concluímosafirmando a relevância desta modalidade de pós-graduação, capaz de provocar mudanças no ponto devista dos estudantes-professores, mas também de renovar a própria concepção de pesquisa acadêmicavoltada para as práticas pedagógicas escolares. 

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
  • Jane Bittencourt
Biografia
Referências

ALMEIDA, Littbarski de Castro. A periferia urbana como lugar da educação patrimonial: o ensino de História no Grande Bom Jardim. 2020, 210 p. Dissertação (Mestrado profissional) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Natal, 2020. Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/573945. Acesso em: 21 mar. 2022.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BEILLEROT, Jacky. La recherche: essai d’analyse. Recherche et formation. INRP, n. 9, p. 17-31, abr. 1991.

CARVALHO, Janete Magalhães. O não-lugar dos professores nos entrelugares de formação continuada. Revista Brasileira de Educação, nº 28, Jan /Fev /Mar /Abr, 2005.

COORDENAÇÃO de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Portaria 47. 17/10/95. Brasília: Capes, 1995.

DERETTI, Valdinei. Ensinar história na cidade: uma proposta de educação patrimonial para Guaramirim/SC. 2020, 188p. Dissertação (Mestrado profissional) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2020. Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/586343. Acesso em: 21 mar. 2022.

GHEDIN, Evandro; FRANCO, Maria Amélia Santoro. Questões de método na construção da pesquisa em educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

GIL, Carmem Zeli de Vargas et al. Ensinar, pesquisar, ensinar: a experiência dos Mestrados Profissionais. Revista PerCursos, Florianópolis, v.18, n.38, p.8-32, set/dez. 2017.

LÜDKE, Menga. O professor, seu saber e sua pesquisa. Educação & Sociedade, ano XXII, nº 74, abril, 2001.

MARCELO, Carlos. Desenvolvimento Profissional Docente: passado e futuro. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, n.8, p.7-22, 2009.
MOLON, Susana Inês. Subjetividade e constituição do sujeito em Vygotsky. 5.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.
OLIVEIRA, Eliana Dias Ferreira. Ponteiros da memória: educação patrimonial do ensino de história em Sergipe. 2020, 439p. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Federal de Sergipe, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, São Cristóvão, SE, 2020. Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/643536. Acesso em: 21 mar. 2022.

PEREIRA, Leandro Balejos. Ensino de história e o ofício do historiador: a investigação do processo de patrimonialização do espaço físico da Escola Estadual Professor Olintho de Oliveira (Porto Alegre/RS) com alunos e alunas do 6º ano do ensino fundamental. 2016, 161p. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Porto Alegre, 2016. Disponível em: ttp://educapes.capes.gov.br/handle/capes/173443. Acesso em: 21 mar. 2022.
PROFHISTÓRIA. Regimento geral do ProfHistória. (Atendendo à Portaria 214 da CAPES de 27/10/2017). Aprovado no Conselho de Ensino para Graduados na sessão do dia 15/10/2021.
REVISTA BRASILEIRA DE PÓS-GRADUAÇÃO, Brasília, v.2, n.4, 2005.

SANTOS, Paulo José Assumpção dos. Ensino de história para alunos surdos em classes inclusivas: práticas e propostas. 2018, 204p. Dissertação (Mestrado Profissisonal) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, 2018. Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/431043. Acesso em: 21 mar. 2022.

SEVERINO, Antônio Joaquim. O Mestrado Profissional: Mais Um Equívoco da política nacional de pós-graduação. Revista de Educação PUC-Campinas, Campinas, n. 21, p. 9-16, novembro. 2006.

SILVA, Elisângela Coêlho da. História da África na escola, construindo olhares “outros”: as contribuições do manual do professor do livro didático de História do Ensino Médio. 2018, 134 p. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Pernambuco, 2018. Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/432155. Acesso em: 21 mar. 2022.

SILVEIRA, Thaís Elisa Silveira da. Identidades (in)visíveis: indígenas em contexto urbano e o ensino de história na região metropolitana do Rio de Janeiro. 2016, 134 p. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/174831. Acesso em: 21 mar. 2022.

VELOSO, Roberta Marcelino. Imagens de uma escrava rebelde: quadrinhos, raça e gênero no Ensino de História. 2018, 183 p. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Estadual de Campinas, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Campinas, 2018. Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/572389. Acesso em: 21 mar. 2022.

VIEIRA, Fabiolla Falconi. O samba pede passagem: o uso de sambas-enredo no ensino de História. 2016. 243p. Dissertação (Mestrado profissional) - Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Florianópolis, 2016. Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/174762. Acesso em: 21 mar. 2022.

ZAVALA, Ana. Pensar ‘teóricamente’ la práctica de la enseñanza de la Historia. Revista História Hoje, v. 4, nº 8, p. 174-196, 2015.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

BITTENCOURT, J. Mestrados profissionais e desenvolvimento profissional da docência. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 18, n. 39, p. 1-21, 19 dez. 2022.

Seção

Artigos

Publicado:

Dez 19, 2022
Palavras-chave:

Desenvolvimento profissional da docência; Mestrado Profissional; Ensino de História.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.