Gestão da concessão de carga horária para atividades de pesquisa em uma universidade não estatal: um estudo de caso

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

A manutenção da pesquisa científica tem sido um desafio financeiro para as universidades comunitárias (públicas não estatais). A alocação de carga horária destinada à pesquisa é um problema que envolve diversas variáveis, como a proporcionalidade entre professores contratados em regime de trabalho de tempo integral e professores sob outros regimes, a demanda de atividades administrativas e de ensino na instituição e o mérito científico de cada pesquisador, entre outras. Neste trabalho é apresentado um estudo de caso e, com base nele, é proposta uma solução para a gerência da concessão de carga horária para pesquisa. Essa solução baseia-se em um problema de otimização que considera a produtividade dos pesquisadores envolvidos, particularidades de cada área do conhecimento, as métricas de avaliação da produção da instituição em análise e a capacidade dessa instituição de conceder carga horária para pesquisa.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
  • Guilherme Holsbach Costa Universidade de Caxias do Sul
  • Cássio Guimarães Lopes Universidade de São Paulo
Biografia
Guilherme Holsbach Costa, Universidade de Caxias do Sul
Guilherme Holsbach Costa é graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000), e possui mestrado e doutorado também em Engenharia Elétrica, pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003 e 2007, respectivamente). Atualmente, é professor Adjunto II na Universidade de Caxias do Sul (RS) e professor do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica. Atua na área de processamento de sinais, com ênfase em processamento de imagens digitais. Tem experiência nessa área, atuando principalmente nos temas de super-resolução, filtragem adaptativa e visão computacional.
Cássio Guimarães Lopes, Universidade de São Paulo
Possui graduação (1996) e mestrado (1999) em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Santa Catarina. É Ph.D. em Engenharia Elétrica (2008) pela University of California Los Angeles (UCLA), ênfase em processamento de sinais, áreas secundárias em controle e comunicações, tendo recebido o título de mestre pela mesma instituição em 2004. De 2005 a 2007 trabalhou com o NASA Jet Propulsion Laboratory, desenvolvendo rastreadores adaptativos para o Mars Science Laboratory. Durante o pós-doutorado, no Instituto Tecnológico de Aeronáutica, trabalhou no desenvolvimento de técnicas de fusão distribuida de sensores para navegação inercial de UAVs. Atualmente, e' Professor Associado (RDIDP) da Escola Politecnica da USP, Depto de Sistemas Eletrônicos. Desenvolve pesquisa em filtragem adaptativa e aplicações, combinações de filtros adaptativos, estimação distribuída e redes adaptativas, processamento adaptativo para plataformas smartphones e rastreamento de frequência.
Referências

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

COSTA, G. H.; LOPES, C. G. Gestão da concessão de carga horária para atividades de pesquisa em uma universidade não estatal: um estudo de caso. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 12, n. 28, 7 dez. 2015.

Seção

Experiências

Publicado:

Dez 7, 2015
Palavras-chave:

Produção em pesquisa. Avaliação. Gestão Universitária.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.