A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO SEGUNDO A EPISTEMOLOGIA GENÉTICA reflexões sobre a teoria e prática na escola

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

A presente investigação teve como objetivo analisar os postulados da Epistemologia Genética. Para tanto, teve como ponto inicial os Modelos Epistemológicos e Pedagógicos que influenciam as concepções de aprendizagem dos educadores e, consequentemente, suas práticas na escola. Ademais, este trabalho pretende-se a discorrer sobre os postulados da base da teoria em questão, tais como: conceito de sujeito e objeto, características dos estádios, os quatro fatores que influenciam no desenvolvimento, a diferença entre desenvolvimento e aprendizagem, as equilibrações etc; refletindo sobre o papel da escola na construção do conhecimento pelo sujeito epistêmico e desmistificando alguns mal-entendidos com relação a esses conceitos, que saíram caros para a educação. A natureza desta investigação é qualitativa. Foi realizada uma revisão bibliográfica, cujo aporte teórico foram as obras de Jean Piaget. Como resultados destacou-se que a concepção Epistemológica mais eficaz para a construção do conhecimento é a Construtiva, representada por um Modelo Pedagógico Relacional. Segundo Becker (2012) os Modelos Pedagógicos (Pedagogia Diretiva e Não Diretiva) e epistemológicos (Empirismo e Apriorismo) comprovadamente são senso comum, ou seja, desaprovados cientificamente, ultrapassados. A pesquisa demonstrou também que, embora as concepções empiristas e aprioristas sejam consideradas ultrapassadas, ambas ainda subsidiam a prática da maioria dos professores.
 

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
  • Claucida Lima
  • Márcia Finimundi Nóbile
Biografia
Referências

ARAMAN, E. M.; PASSOS, A. Q.; CURTI, M. E. O que professores dos Anos Iniciais revelam saber a respeito da Classificação, Seriação e Inclusão de Classe. Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas, v. 18, n. 2, p. 134-143, 2017.
BECKER, Fernando. Educação e construção do conhecimento. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.
DOLLE, Jean-Marie. Para além de Freud e Piaget: referenciais para novas perspectivas em Psicologia. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. Petrópolis – RJ: Vozes,1993.
FREZZA, J.; MARQUES, T. A evolução das estruturas cognitivas e o papel do senso comum. Revista Shème, v. 2, n. 3, jan.-jul., 2009.
MONTAGERO, J.; NAVILLE, D. M. Piaget ou a inteligência em evolução. Tradução: Fernando Becker e Tânia Beatriz Iwaszko Marques. Porto Alegre: Artmed, 1998.
PIAGET, J. Development and Learning. Journal of Research in Science Teaching, New York, n. 2, v. 3, p. 176-86, 1964.
PIAGET, J. Development and learning. In: LAVATELLY, C. S.; STENDLER, F. Reading in child behavior and development. New York: Hartcourt Brace Janovich, 1972.
PIAGET, J.; INHELDER, B. A Psicologia da Criança.Tradução: Octavio Mendes Cajado. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1993.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

LIMA, C.; FINIMUNDI NÓBILE, M. A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO SEGUNDO A EPISTEMOLOGIA GENÉTICA. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 16, n. 36, p. 1-17, 2 nov. 2020.

Seção

Estudos

Publicado:

Nov 2, 2020
Palavras-chave:

Construção do Conhecimento; Aprendizagem; Epistemologia Genética.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)