Formação continuada de professores de Ciências em caráter investigativo, interdisciplinar e com mediação por tecnologias digitais reflexões acerca do curso ciência é 10 na universidade de Brasília

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

A efetividade e a qualidade educacional no Brasil têm evidenciado a necessidade de intervenções profundas no modelo adotado e em suas formas de ensino, sobretudo nas Ciências da Natureza e Matemática (CNM). Nesse sentido, a Universidade de Brasília (UnB) disponibilizou-se a colaborar com a reflexão, a crítica e a transformação desse cenário, planejando e ofertando o curso de especialização lato sensu no ensino de Ciências: o Ciência é Dez! ou C10. Essa iniciativa deu-se no Programa Ciência na Escola, com o apoio do MEC, do MCTIC, do CNPq e da Capes, centrando-se num modelo pedagógico desenvolvido nacionalmente para a oferta colaborativa em uma de instituições públicas de ensino superior (IPES). O curso é fundamentado teórica e metodologicamente em práticas investigativas, em caráter interdisciplinar e com mediação de tecnologias digitais, atendo-se aos saberes da área de CNM e ao contexto e aos desafios da Educação Básica (EB) brasileira. Em 2020, foi iniciada a oferta para três polos Brasília/DF, Planaltina/DF e Goiânia/GO – com 124 estudantes/ professores-cursistas. O planejamento pedagógico previa ações investigativas associadas à transposição didática presencial; entretanto, com a ocorrência da Pandemia de Covid-19, foi adaptado na flexibilização do perfil do ingressante e na aplicação das Atividades Investigativas (AIs) de modo remoto. Este estudo reporta, na perspectiva de um relato de experiências, as interconexões entre o projeto e as expectativas do curso com a sua efetiva execução, apontando alguns dos resultados obtidos. Com isso, pretende-se fomentar a área de estudos da CNM e da formação continuada, como um todo.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
Biografia
Marcello Ferreira, Universidade de Brasília
MARCELLO FERREIRA Doutor em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul Docente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Instituto de Física, Universidade de Brasília – Brasília-DF E-mail: marcellof@unb.br Orcid: http://orcid.org/0000-0003-4945-3169
Olavo Leopoldino da Silva Filho, Universidade de Brasília
OLAVO LEOPOLDINO DA SILVA FILHO Doutor em Física pela Universidade de Brasília Docente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Instituto de Física, Universidade de Brasília – Brasília-DF E-mail: olavolsf@unb.br Orcid: http://orcid.org/0000-0001-8078-3065
Khalil Oliveira Portugal, Universidade de Brasília
KHALIL OLIVEIRA PORTUGAL Doutor em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina Docente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Instituto de Física, Universidade de Brasília – Brasília-DF E-mail: khalil.portugal@unb.br Orcid: http://orcid.org/0000-0002-9239-4443
Juliana Alves de Araújo Bottechia, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal
JULIANA ALVES DE ARAÚJO BOTTECHIA Doutora em Educação pela Universidade da Madeira Professora na Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal Professora-conteudista no Centro de Educação a Distância da Universidade de Brasília – Brasília-DF E-mail: juliana.bottechia@edu.se.df.gov.br Orcid: http://orcid.org/0000-0003-1170-1235
Marcilene Barros Lima, Universidade de Brasília
MARCILENE BARROS LIMA Mestra em Economia pela Universidade de Brasília Assessora Administrativa da Sociedade Brasileira de Física Professora-conteudista no Centro de Educação a Distância da Universidade de Brasília – Brasília-DF E-mail: marcidf.unb@gmail.com Orcid: http://orcid.org/0000-0003-2616-9739
Marcos Rogério Martins Costa, Universidade de Brasília
MARCOS ROGÉRIO MARTINS COSTA Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo Professor-colaborador no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Instituto de Física, Universidade de Brasília – Brasília-DF Professor-conteudista do Centro de Educação a Distância da Universidade de Brasília – Brasília-DF E-mail: marcosrmcosta15@gmail.com Orcid: http://orcid.org/0000-0002-4627-9989
Deise Mazzarella Goulart Ferreira, Universidade de Brasília
DEISE MAZZARELLA GOULART FERREIRA Doutoranda em Administração pela Universidade de Brasília Administradora no Centro de Educação a Distância da Universidade de Brasília – Brasília-DF E-mail: deisegoulart@unb.br Orcid: http://orcid.org/0000-0002-2617-5285
Núbia Almeida Duarte Oliver, Universidade de Brasília
NÚBIA ALMEIDA DUARTE OLIVER Mestranda em Ensino de Ciências pela Universidade de Brasília Técnica em Assuntos Educacionais no Centro de Educação a Distância da Universidade de Brasília – Brasília-DF Tutora do Curso Ciência é 10 da Universidade de Brasília – Brasília-DF E-mail: nubia.oliver@unb.br Orcid:  http://orcid.org/0000-0002-3638-7548
Referências

ACCIOLY, Laurymar Garcez Freitas Santos; COELHO, Patrícia Margarida Farias; COSTA, Marcos Rogério Martins. Gestão e formação de professores: os dilemas contemporâneos da complexidade. Debates em educação, v. 12, p. 705-723, 2020.
BAGNO, Marcos. Pesquisa na escola: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 1999. GUIDO, H. A arte de aprender: metodologias do trabalho escolar para a Educação Básica. Petrópolis: Vozes, 2008.
BOGDAN, Robert C..; BIKLEN, Sari. K. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto Editora, 1994.
BRASIL. Ministério da Educação. Capes. Projeto pedagógico do curso: Especialização em Ensino de Ciências – Anos finais do Ensino Fundamental “Ciência é Dez!”. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/Ciencia_e_10_Projeto_Pedagogico_do_Curso.pdf Acesso em: 29 maio 2022.
BRASIL, Ministério da Educação. Planejando a Próxima Década - Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Brasília: MEC, 2014.
BOTTECHA, Juliana Alves de Araújo. Educação para o mundo do trabalho na indústria 4.0. In: MORAES, Rodrigo Bombonati de Souza (org.) Indústria 4.0: impactos sociais e profissionais. São Paulo: Blucher, 2021. p. 99-112.
CACHAPUZ, Antônio et al. (orgs). A necessária renovação do Ensino das Ciências. São Paulo: Cortez, 2005.
COLLARES, Cecília Azevedo Lima. Ajudando a desmistificar o fracasso escolar. Ideias (UNICAMP), v. 6, p. 24-29, 1990.
COSTA, Marcos Rogério Martins Costa; SOUSA, Jonilto Costa. Educação a Distância e Universidade Aberta do Brasil: reflexões e possibilidades para o futuro pós-pandemia. Thema, Pelotas, v. 18, p. 124-135, 2020.
ESTEBAN, Maria Tereza; ZACCUR, Edwiges (orgs.) Professora-pesquisadora: uma práxis em construção. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
FERREIRA, Marcello; SILVA FILHO, Olavo Leopoldino da. Ensino de física: fundamentos, pesquisas e novas tendências. Plurais: Revista Multidisciplinar da UNEB, v. 6, p. 9-19, 2021.
FERREIRA, Marcello. et al. Ensino de astronomia: uma abordagem didática a partir da Teoria da Relatividade Geral. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 43, p. 1-13, 2021a.
FERREIRA, Marcello. et al. Análise de temas, teorias e métodos em dissertações e produtos educacionais no MNPEF. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 43, p. 1-13, 2021b.
FERREIRA, Marcello. et al. A WebQuest como proposta de avaliação digital no contexto da aprendizagem significativa crítica em ciências para o ensino médio. Pesquisa e Debate em Educação, v. 12, n. 1, p. 1–32, 2022.
FERREIRA, Marcello. et al. Unidade de Ensino Potencialmente Significativa sobre óptica geométrica apoiada por vídeos, aplicativos e jogos para smartphones. Revista Brasileira de Ensino de Física, 42, p. 1-13, 2020.
FOUREZ, Gérard. Crise no ensino de ciências? Investigações em Ensino de Ciências, v. 8, n. 2, p. 109-123, 2003.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.
GULIS, Galina et al. Ensino interdisciplinar da fotossíntese: interfaces entre a aprendizagem significativa crítica e as comunidades de investigação. Experiências em Ensino de Ciências (UFRGS), v. 16, p. 89-116, 2021.
INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório de resultados do Saeb 2019. Volume 1: 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e séries finais do Ensino Médio. Brasília, DF: INEP, 2021.
IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. Trad. Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez Editora, 2011.
MARTINS, Jorge Santos. O trabalho com projeto de pesquisa: do ensino fundamental ao médio. Campinas: Papirus, 2001.
MEC. Ministério Da Educação. Ciência é 10. Capes. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/educacao-a-distancia/uab/mais-sobre-o-sistema-uab/cursos-nacionais-do-sistema-universidade-aberta-do-brasil/ciencia-e-10. Acesso em: 29 maio 2022.
MILL, Daniel; OLIVEIRA, Achilles Alves de; FERREIRA, Marcello. Jornadas formativas mediadas por tecnologias digitais no ensino superior: aportes para pensar atividades assíncronas. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 65, p. 201-224, 2022.
NINN, Maria Otilia Guimarães. Pesquisa na escola: Que espaço é esse? O do conteúdo ou o do pensamento crítico? Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 48, p 17-35, 2008.
NÓVOA, Antonio. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa: EDUCA, 2002.
OLIVEIRA, Daisy Lara de (org.) Ciências nas salas de aula. Porto Alegre: Mediação, 1997.
OCDE. Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Relatório Brasil no PISA 2018. Versão preliminar. Brasília: Inep/MEC, 2019.
PEREIRA, Rodrigo da Silva. A política de competências e habilidades na educação básica pública: relações entre Brasil e OCDE. 2016. 284f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
PHILIPPI Jr., Arlindo; FERNANDES, Valdir. Práticas da Interdisciplinaridade no Ensino e Pesquisa. São Paulo: Manole, 2014.
SASSERON, Lúcia Helena; CARVALHO, Ana Maria Pessoa de. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, v. 16, n. 1, p. 59-77, 2011.
SILVA FILHO, Olavo Leopoldino da; FERREIRA, Marcello. Teorias da aprendizagem e da educação como referenciais em práticas de ensino: Ausubel e Lipman. Revista do Professor de Física, v. 2, n. 2, p. 104-125, 2018.
SILVA FILHO, Olavo Leopoldino; FERREIRA, Marcello. Modelo teórico para levantamento e organização de subsunçores no âmbito da Aprendizagem Significativa. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 44, p. 1-13, 2022.
SILVA FILHO, Olavo Leopoldino da et al. Normatividade e descritividade em referenciais teóricos na área de ensino de Física. Pesquisa e Debate em Educação, v. 11, n. 1, p. 1-33, 2021.
SOMMERMAN, Américo. Objeto, Método e Finalidade de Interdisciplinaridade. In: PHILIPPI Jr., Arlindo; FERNANDES, Valdir (orgs.). Práticas de interdisciplinaridade no ensino e pesquisa. Barueri: Manole, 2015, p. 165-212.
SOUSA, Sandra Zákia. Concepções de qualidade da educação básicas forjadas por meio de avaliações em larga escala. Avaliação: Revista de Avaliação do Educação Superior, Campinas, v.19, n. 2, p. 407-420, 2014.
STUDART, Nelson. Complexidade na Física e seu Ensino: Apresentação da Edição Especial. Revista Brasileira de Ensino de Física v. 43, 2021a.
STUDART, Nelson. Inovando a Ensinagem de Física com Metodologias Ativas. Revista do Professor de Física, v. 3, n. 3, p. 1–24, 2021b.
UNB. Universidade de Brasília. Relatório do curso de Especialização “Ciência é 10!”. Brasília: UnB, 2021.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

FERREIRA, M.; SILVA FILHO, O. L. DA; PORTUGAL, K. O.; BOTTECHIA, J. A. DE A.; LIMA, M. B.; COSTA, M. R. M.; FERREIRA, D. M. G.; OLIVER, N. A. D. Formação continuada de professores de Ciências em caráter investigativo, interdisciplinar e com mediação por tecnologias digitais. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 18, n. 39, p. 1-39, 19 dez. 2022.

Seção

Artigos

Publicado:

Dez 19, 2022
Palavras-chave:

Ensino de Ciências, Formação docente, Interdisciplinaridade, Atividade Investigativa, Ciência é 10

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.