Socialização profissional docente e traços identitários de professores seniores em um Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

O objetivo desta comunicação é o de apresentar parte dos resultados de uma tese de doutorado em andamento que tem o objetivo de identificar as representações sobre orientação acadêmica dos orientadores de um Programa de Pós-graduação Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo. A presente pesquisa tem o objetivo de investigar a socialização profissional de orientadores e apresenta cunho qualitativo. Para a obtenção de informações, utilizaram-se entrevistas inspiradas no aporte teórico da história oral, as quais foram analisadas com base na metodologia de análise de conteúdo. Até o momento, foram realizadas oito entrevistas. Destas, quatro foram selecionadas para a análise. Os resultados indicam três elementos de tensão no processo de socialização profissional dos docentes entrevistados: i) o nível de conhecimento que o orientador acredita possuir sobre a área; ii) o sentimento de pertencimento ao grupo visado e as relações interpessoais estabelecidas; e iii) as pressões de produtividade e competitividade próprias do campo universitário.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
  • Caian Cremasco Receputi
  • Hedylady Santiago Machado
  • Daisy de Brito Rezende
Biografia
Caian Cremasco Receputi

Doutorando em Ensino de Ciências pela Universidade de São Paulo

Hedylady Santiago Machado

Mestra em Ensino, Educação Básica e Formação de Professo pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Daisy de Brito Rezende

Doutora em Química Orgânica pela Universidade de São Paulo (USP). Professora do Instituto de Química da Universidade de São Paulo

Referências

BONADIMAN, H. L. Socialização profissional de professores universitários iniciantes. 2016. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). histórico. 2019. Disponível em: http://www.finep.gov.br/a-finep-externo/historico. Acesso em: 20 jun. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório de Avaliação 2013-2016 - Quadrienal 2017, Área de Avaliação: Ensino. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 510, de 7 de abril de 2016. Trata sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa em ciências humanas e sociais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 maio 2016. Seção 1. p. 44-46.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 jun. 2013. Seção 1, p. 59-62.

CAMPOS, H. Metalinguagem e outras metas. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

CASTANHO, S. Da universidade modelo aos modelos de universidade. Quaestio: Revista de Estudos em Educação, v. 4, n. 1, p. 27-46, 2002.

CASTIEL, L. D.; SANZ-VALERO, J. Entre fetichismo e sobrevivência: o artigo científico é uma mercadoria acadêmica?. Cadernos de Saúde Pública, v. 23, n. 12, p. 3041-3050, 2007.

CHAUÍ, M. Escritos sobre a universidade. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

COSTA, F. J.; SOUZA, S. C. T.; SILVA, A. B. Um modelo para o processo de orientação na pós-graduação. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 11, n. 25, p. 823-852, 2014.

CUNHA, M. A. O processo de socialização profissional de professores do ensino superior atuantes no curso de Administração: trajetórias, saberes e identidades. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Estudos Pós-graduados em Educação, História, Política e Sociedade, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

DUBAR, C. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. 2a ed. Brasília, (DF): Líber Livro, 2005.

HEY, A. P.; CATANI. A. C. A USP e a formação de quadros de dirigentes. In: MOROSINI, M. C. (org.). A universidade no Brasil: concepções e modelos. 2. ed. Brasília: INEP, 2011. p. 231-244.

JONES, M. Issues in doctoral studies-forty years of journal discussion: where have we been and where are we going?. International Journal of Doctoral Studies, v. 8, n. 6, p. 83-104, 2013.

MACHADO, A. M. N.; BIANCHETTI, L. Orientações de teses e dissertações: individual e/ou coletiva? Contextos e transformações nos 40 anos da Pós-graduação stricto sensu no Brasil. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 29., 2006, Caxambu. Anais eletrônicos [...]. Caxambu: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd), 2006. Disponível em: http://29reuniao.anped.org.br/trabalhos/trabalho/GT11-2385--Int.pdf. Acesso em: 20 jun. 2022.

MASSI, L.; GIORDAN, M. Formação do orientador de pesquisas acadêmicas: um estudo bibliográfico nacional e internacional. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 14, p. 1-19, 2017.

McCALLIN, A.; NAYAR, S. Postgraduate research supervision: a critical review of current practice. Teaching in Higher Education, v. 17, n. 1, p. 63-74, 2012.

MINAYO, M. C. S. O desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 34. ed. Petrópolis: Vozes, 2015. p. 9-29.

MEIHY, J. C. S. B.; HOLANDA, F. História oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto, 2007.

MELO, G. F.; PIMENTA, S. G. Socialização profissional de docentes na universidade: contribuições teóricas para o debate. Revista Linhas, Florianópolis, v. 20, n. 43, p. 61-77, 2019.

MOLETTA, A. F. Socialização profissional de professores de educação física do ensino superior. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

MOTTA, R. P. S. As universidades e o regime militar: cultura política brasileira e modernização autoritária. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

NARDI, R. Memórias da educação em ciências no Brasil: a pesquisa em ensino de física. Investigações em Ensino de Ciências, v. 10, n. 1, p. 63-101, 2005.

NARDI, R.; ALMEIDA, M. J. P. M. Investigação em ensino de ciências no Brasil segundo pesquisadores da área: alguns fatores que lhe deram origem. Pro-Posições, v. 18, n. 1, p. 213-226, 2007.

NUNES, D. P. A. Caminhos da professoralidade no curso de Dança da UFU: impasses e desafios na construção da identidade profissional. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

PAGNEZ, K. S. M. M. O ser professor no ensino superior na área da saúde. 2007. Tese (Doutorado em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

RECEPUTI, C. C.; REZENDE, D. B. Aspects of the trajectory of the USP Graduate Program on Science Education. In: REUNIãO ANUAL VIRTUAL DA SBQ, 44., 2021, Campinas. Anais eletrônicos [...]. Campinas: Galoá, 2021. Disponível em: https://proceedings.science/rasbq-2021/papers/aspects-of-the-trajectory-of-the-usp-graduate-program-on-science-education. Acesso em: 20 jun. 2022.

RECEPUTI, C. C.; VOGEL, M.; REZENDE, D. B. Research advisor-advisee relationships on graduate programs: a bibliographic survey. IOSTE Letters, n. 1, n. 2, p. 263-271, 2021.

RICHARDSON, R. J. et al. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

RODRIGUES, I. G.; HAMBURGER, E. W. O “Grupo de Ensino” do IFUSP: histórico e atividades. São Paulo: Universidade de São Paulo, Instituto de Física, 1993.

SANTOS, P. P. Socialização profissional dos professores engenheiros ingressantes na educação superior. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.

SCARPA, D. EXPO PG USP 2021 - Auditório 8 - Ciências Humanas 2. São Paulo: Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo, 9 fev. 2021. 1 vídeo (3h:01min). [Live]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=jyd4B9k4I-Y. Acesso em: 11 jan. 2022.

TAYLOR, S. E. Changes in doctoral education: implications for supervisors in developing early career researchers. International Journal for Researcher Development, v. 3, n. 2, 118-138, 2012.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Processo 72.1.7842.1.9: Regulamento dos cursos de pós-graduação do curso “Interunidades Ensino de Ciências”. Instituto de Física/FE/IQ/IB. [S.l.], 2008.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

CREMASCO RECEPUTI, C.; MACHADO, H. S.; REZENDE, D. de B. Socialização profissional docente e traços identitários de professores seniores em um Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências. Revista Brasileira de Pós-Graduação, [S. l.], v. 18, n. 39, p. 1–29, 2023. DOI: 10.21713/rbpg.v18i39.2023. Disponível em: https://rbpg.capes.gov.br/rbpg/article/view/2023. Acesso em: 23 maio. 2024.

Seção

Artigos

Publicado:

nov. 23, 2023
Palavras-chave:

Professores Sêniores, Socialização Profissional, Pós-Graduação, Ensino de Ciências, Traços Identitários

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.